Conheça a Coordenadora das graduações da FAPUGA, Dra. Thais Carmo

Dra. Thais Carmo

Com uma vasta experiência em docência, a Dra. Thais Carmo assume o cargo de coordenadora das graduações da instituição FAPUGA. Ela é graduada em Farmácia, Mestre em Educação, tem doutorado em Saúde Pública e diversas especializações que alimentam seu currículo que a tornam uma referência.

Inclusive, sua tese de doutorado “Prescrições de medicamentos para gestantes: um estudo farmacoepidemiológico” já conta com 32 citações em artigos científicos publicados no Brasil e em outros países, como Suriname, Portugal, EUA, Palestina, Turquia, Arábia Saudita, Nigéria e outros. 

Ela iniciou sua carreira como docente em 1987, e nesses mais de 30 anos já deu aulas nos cursos de Farmácia, Biomedicina, Medicina, foi professora na USP e na Universidade Metodista de Piracicaba, onde ficou por 20 anos e foi coordenadora do curso de Farmácia. 

Além disso, sempre conciliou a carreira acadêmica com seu trabalho na área de Saúde Pública, quando foi coordenadora do serviço de Assistência Farmacêutica de Piracicaba e diretora do Diretório Regional de Saúde da Região de Piracicaba. Também foi eleita conselheira e diretora do Conselho Regional de Farmácia (CRF), onde ficou como voluntária durante oito anos.

Mas chegar até a docência e construir essa extensa bagagem, envolveu uma série de fatores e propósitos, como querer se tornar uma agente de transformação da saúde e ir além do que estar atrás do balcão de uma farmácia. 

Propósito, Motivação e Valores

Por mais que tenha entrado na graduação de Farmácia e seu objetivo inicial era trabalhar em um laboratório de análises clínicas, durante o curso a Dra. Thais Carmo percebeu que precisava estar mais próxima ao paciente.

“Eu queria atuar como profissional de saúde, intervindo diretamente na saúde das pessoas, junto ao paciente. E eu sentia que a farmácia me limitava quanto a isso”, explica.

Então, fez a sua primeira pós em Saúde Pública e nesse momento decidiu reorientar sua carreira rumo à docência. Nesse período, ela conta que mais do que nunca percebeu que a área da saúde não é para qualquer um, é necessário ter vocação, empatia, se colocar no lugar do outro, ter compromisso com o paciente.

“Resolvi: se eu quisesse interferir, de fato, na saúde de muitas pessoas, eu deveria ir para a área acadêmica, onde eu poderia formar profissionais, ou contribuir para a formação deles, para que tivessem essa mentalidade e esse perfil mais humanístico”, revela.

Para conseguir ter um melhor desempenho na formação dessas pessoas, ela optou por fazer um mestrado em Educação para aprender a trabalhar com metodologias de ensino e aprendizagem e fazer isso acontecer. 

“A educação, para mim, é tocar no coração das pessoas. Quando elas são tocadas, compreendem o quão o conhecimento é importante, desperta-se a curiosidade para que queiram aprender mais e se tornarem, realmente, um agente de transformação social”, conta.

Diante da vontade de participar de forma efetiva da vida das pessoas, a atual coordenadora geral sempre procurou novos desafios que a motivasse e fizesse a diferença no mundo. E foi assim que chegou à FAPUGA.

Essa necessidade de interferir diretamente no bem-estar e qualidade de vida das pessoas, como um agente de transformação social efetivo a fim de tornar o mundo melhor, fez com que ela se identificasse com a filosofia da FAPUGA e se candidatasse à vaga de coordenadora dos cursos instituição. 

Chegada à FAPUGA

Sua chegada à instituição traz novos ares, metas e reestruturações, como aumentar o número de alunos, consolidar os cursos, revisar as matrizes curriculares, uma vez que precisam ser mais dinâmicas e flexíveis.

“Precisamos atender as necessidades tanto do aluno quanto do mercado de trabalho e os aspectos educacionais. Ter uma matriz que garanta os conhecimentos técnicos necessários, mas que tenha uma característica de flexibilidade para atender os alunos dentro da área que escolheram”, ressalta. 

Além disso, a professora também destaca que estão planejando projetos de extensão, uma capacitação para pequenos gestores, com professores e alunos da FAPUGA, uma oficina para jovens que procuram o primeiro emprego, realizar palestras, entre muitos outros projetos.

“O objetivo é colaborar para que a FAPUGA cresça cada vez mais, que a gente agregue novos cursos, que ela se coloque de forma diferente no cenário educacional”, conta a Dra. Thais Carmo.

Conselhos sobre o Mercado de Trabalho

Com vasta experiência no mercado de trabalho, a Dra. Thais Carmo deixa dois conselhos importantes para aqueles que desejam se destacar no mercado de trabalho. E mais do que isso, que pretendem trabalhar com propósito e alcançar o sucesso. 

“Em primeiro lugar, eu acredito que devemos conhecer os nossos talentos, todos têm e eu os chamo de vocação. Só somos felizes quando trabalhamos com aquilo que gostamos. Após ter consciência disso, é necessário que se prepare e alimente um sólido conhecimento técnico científico”, pontua a Dra. Thais Carmo.

“E o segundo conselho é sobre aprender a trabalhar em equipe e a se relacionar, ser tolerante perante as diferenças e saber trabalhar os nossos pontos positivos e negativos. Isso se aprende desde a época da faculdade, e é de suma importância para o mercado de trabalho”, afirma. 

E por fim, como um conselho extra, a nova coordenadora geral da FAPUGA fala sobre aprender a respeitar o próprio tempo. “Não podemos ser imediatistas, quando as coisas não dão certo, temos que parar e avaliar o que aconteceu, assumir a responsabilidade no fracasso e procurar melhorar e se colocar novamente, enfim, não desistir nunca, correr atrás dos objetivos e estar preparado para isso”, conclui.

Você pode gostar:

nepuga