Menu

Mantenedora NEPUGA PÓS GRADUAÇÃO LTDA denominada atualmente por PUGA & NUNES EDUCACIONAL LTDA

Faculdade ANA CAROLINA PUGA – FAPUGA

NORMAS DE CONDUTAS E DISCIPLINARES DO CORPO DOCENTE DA FAPUGA/NEPUGA

CÓDIGO DE CONDUTA PARA O CORPO DOCENTE CAPÍTULO I

As responsabilidades do corpo docente da FAPUGA/Nepuga distribuem-se por três áreas principais: Ensino, Pesquisa e Contribuições intelectuais / Contribuições institucionais. Destaca-se ainda a responsabilidade por manter atualizado seu cadastro pessoal.

Manutenção do Cadastro Pessoal

Todo o trabalho de planejamento e gestão relacionado ao corpo docente da FAPUGA/Nepuga baseia-se num conjunto de informações sobre este corpo docente, contendo informações sobre formação acadêmica, experiência profissional, contribuições intelectuais, contribuições institucionais, entre outras.

É, portanto, de responsabilidade do docente manter atualizado seus dados cadastrais para constarem em pasta especialmente criada para arquivar as informações relevantes em relação à sua qualificação e ao seu desenvolvimento.

Também é de responsabilidade do docente informar a FAPUGA/Nepuga, periodicamente e com antecedência, a respeito de palestras, orientações, aulas, pesquisas e outros compromissos assumidos fora da Instituição, que guardem interesse com a atividade desenvolvida no nesta Instituição e que possam gerar um conflito de interesses. Informando via plataforma interativa (Portal do Aluno e Portal de Estudos), com no mínimo 30 dias de antecedência, e a solicitação será analisada juntamente com a diretoria geral e instruída quanto à posição desta Instituição de Ensino Superior em relação à cada caso em particular.

A FAPUGA/Nepuga recomenda que todos os docentes mantenham seu Currículo Lattes atualizado, sendo que os professores que atuam nos programas de graduação e especialização devem fazê-lo regularmente a cada incremento durante o ano todo; esta é uma recomendação dos avaliadores do MEC, ministério responsável por regulamentar a graduação, a pós-graduação lato sensu e os cursos de extensão no Brasil.

Ensino

A responsabilidade do corpo docente da FAPUGA/Nepuga, mais do que com a atividade de ensino, é com o aprendizado dos alunos. Consideramos que todos os alunos admitidos têm, em princípio, condições de desempenhar adequadamente nos respectivos programas de graduação, pós-graduações e cursos de extensão universitária. Assim, no seu conjunto, espera-se que os alunos atinjam altos níveis de alcance das metas de aprendizado nos programas e suas respectivas disciplinas. A responsabilidade por este sucesso é compartilhada por alunos e corpo docente. O insucesso eventual de alguns alunos é igualmente compartilhado por alunos e corpo docente.

A FAPUGA/Nepuga visa proporcionar tanto a alunos como a docentes as melhores condições para que as metas de aprendizado sejam alcançadas. A visão metodológica da FAPUGA/Nepuga promove um alto grau de interação entre os alunos, tirando vantagem da diversidade em termos de formação, experiência prévia, áreas de atuação, entre outros aspectos. Ao mesmo tempo, a estrutura dos programas de ensino da FAPUGA/Nepuga contempla uma distribuição de carga horária e dias no mês, dando ao aluno a chance de acessar o professor para tirar dúvidas sobre a matéria lecionada. Este atendimento pode ser feito pessoalmente ou via plataforma interativa (Portal do Aluno e Portal de Estudos), conforme orientação do programa de ensino.

A responsabilidade das coordenações e docentes associada à carga horária das disciplinas, dos cursos e compromissos inclui as seguintes atividades e atitudes:

  • seguir a metodologia da FAPUGA/Nepuga. Toda a metodologia desenvolvida pelos docentes devem seguir de acordo com o treinamento e orientações feitas em sua contratação, assim como o uso das apostilas, slides próprios ou cedidos pela FAPUGA/Nepuga, layoutização das salas de aulas. Todas as aulas são padronizadas, de acordo com o plano de aula entregue ao docente em seu treinamento, onde a distribuição das das aulas práticas e teóricas são previamente determinadas no respectivo plano pedagógico de cada curso.
  • preparar os cursos de acordo com a proposta educacional da FAPUGA/Nepuga.
  • conduzir as aulas de acordo com a visão educacional e metodológica da FAPUGA/Nepuga.
  • contribuir para a o aprimoramento e inovação de avaliação do desempenho dos alunos, preocupando-se com a coerência entre a avaliação do aprendizado, os objetivos de aprendizagem da disciplina e as dinâmicas de aulas (entendendo-se que os objetivos de aprendizagem serão adequados ao nível de exigência/dificuldade de cada curso — graduação, pós-graduação, educação continuada).
  • definir as avaliações e respectivos critérios de correção em conjunto e com base nos fundamentos e evidências de aprendizagem estabelecidos no plano de aula, segundo o CONSEPE e demais órgãos acadêmicos competentes da FAPUGA/Nepuga. Especificamente as provas intermediária e final deverão ser as mesmas e ter os mesmos critérios de correção. Os planos de aulas podem variar nas dimensões “atividades” e “leitura prévia”, com base no estilo didático e forma de abordar o conteúdo de cada professor. Por outro lado, “problemas”, “fundamentos” e “evidências de aprendizagem”, por constituírem os propósitos e cerne da disciplina devem ser únicos sempre que houver mais de um professor ministrando a mesma disciplina em razão do número de turmas. Eventuais exceções poderão ocorrer somente por determinação prévia feita pelas coordenações acadêmicas da FAPUGA/Nepuga em contextos especiais tais como transição de grade (turmas em diferentes semestres) ou reformulação da disciplina com base em revisão curricular.
  • corrigir as avaliações intermediárias e finais, com base em critérios previamente definidos, aplicados consistentemente para todos os alunos, permitindo que feedback construtivo seja dado aos alunos e também ao próprio docente, com relação aos resultados e oportunidades de aprimoramento, para fins de ajustes necessários na disciplina. Dessa forma, as avaliações cumprem seu papel de instrumento de aprendizado e desenvolvimento.
  • atender as orientações das coordenações acadêmicas e de apoio acadêmico, quanto ao sistema de notas, divulgação de material das aulas, entre outros.
  • atender à convocação dos coordenadores acadêmicos, para participar e contribuir nas reuniões regulares pertinentes ao programa de ensino no qual leciona.
  • Seguir os planos de aulas de acordo com a metodologia PADRÃO, sem fazer qualquer alteração antes de comunicar a coordenação responsável e aguardar ser deferido o pedido. Toda sugestão de melhorias no plano de aula deverá ser encaminhadas a coordenação responsável e aguardar a alteração caso seja DEFERIDA.
  • responsabilizar-se pelo desempenho dos professores auxiliares, das disciplinas que ministra, seja na sala de aula, entre outros aspectos relativos à atuação dos professores auxiliares.
  • atender aos prazos, fluxos e procedimentos, conforme orientação das coordenações.
  • considerar a avaliação feita pelos alunos como fonte de informação relevante ao desenvolvimento de seu desempenho em sala de aula.
  • buscar feedback dos coordenadores dos programas de ensino e de colegas, visando aprimorar sua atuação em sala de aula.
  • participar ativamente dos programas ou iniciativas de desenvolvimento de docentes da FAPUGA/Nepuga que visam alinhar as práticas docentes à proposta educacional da IES.
  • Seguir as orientações de aula desenvolvidas em cima das metodologias da FAPUGA/Nepuga, para cada disciplina ministrada.
  • utilizar os recursos oferecidos pela FAPUGA/Nepuga, como microfone, data show, vídeos  tais orientações no desenho do curso e workshops sobre temas relacionados a práticas metodológicas e pedagógicas.
  • observar e preservar as Normas de Condutas e Disciplinares do Corpo Discente da FAPUGA/Nepuga orientando o aluno quanto a atitudes não condizentes com os princípios e valores da FAPUGA/Nepuga, tais como cola, plágio, normas de segurança e comportamento em sala de aula por exemplo.
  • observar e preservar o Regimento Geral e demais Regulamentos da FAPUGA/Nepuga, no relacionamento entre alunos, entre professores, alunos e professores, alunos e colaboradores, professores e colaboradores.
  • atendimento clínico, consultorias, assessorias OUT CLASS por parte do docente, oferecendo qualquer serviço aos alunos com contrato vigente nesta Instituição de Ensino Superior não são permitidos pela FAPUGA/Nepuga, como também, a venda de qualquer material didático ao aluno e ou produto relacionado à área.
  • consultorias, vendas de estágio clínico, vendas de produto, vendas de livros e ou apostilas, vendas de ingressos, e qualquer outro tipo de comercialização por parte do DOCENTE na FAPUGA/Nepuga, não é autorizado, recorrendo à quebra de contrato e pagamento de multa, sob pena de ação judicial.
  • todas as fotografias feitas na FAPUGA/Nepuga não podem ser divulgadas em perfil pessoal do docente para fins de se promover, somente para a promoção da aula e sempre mencionando a FAPUGA/Nepuga em suas postagens.
  • todo material didático fornecido pela FAPUGA/Nepuga para a ministração de aulas na Instituição não pode ser utilizado em outras escolas e ou para outros fins, sendo classificado como infração contratual e de leis vigentes.

Observações:

1) A FAPUGA/Nepuga respeita e preserva direitos autorais, por esta razão a Reprografia da escola não produz fotocópias que possam estar em desacordo com a Cartilha da ABDR – Associação Brasileira de Direitos Reprográficos.

2) A FAPUGA/Nepuga administra o uso de materiais didáticos via sistema Moodle (Portal do Aluno), entre outros, solicitados por docentes visando controlar o número de licenças que devem ser pagas às instituições detentoras dos direitos relativos a todos os materiais colocados à disposição do corpo docente da FAPUGA/Nepuga.

3) Materiais desenvolvidos pelos docentes devem ser revisados pelas COORDENAÇÕES, antes de serem colocados à disposição dos alunos, outros materiais como (notas de aula, avaliações, grades de correção, planos de aula) são tratados como da instituição e, portanto, compartilháveis com outros docentes ou mesmo entre alunos (que por vezes tomam a iniciativa de compartilhar notas com outros colegas inclusive fazendo uso de redes sociais). Neste sentido orientamos os docentes a incluir em todos os materiais que forem elaborados, uma nota de rodapé indicando a não reprodução ou divulgação sem sua prévia autorização da instituição. O Manual do Aluno orienta o procedimento para obtenção de autorização do professor e da Instituição. Além disso, deve ser dada especial atenção à adequada referência de autores e/ou bibliografia quando o docente fizer uso de conceitos, citações, etc que não forem de sua autoria.

Alocação Letiva de Docentes de Dedicação Não Exclusiva

  • Os docentes passam por um processo criterioso de admissão na seleção de novos professores, e após quando comprovado domínio da disciplina, será destinado ao treinamento de docentes FAPUGA/Nepuga, onde será treinado nas Metodologias adotas, desenvolvidas para os programas das graduações, pós graduações e dos cursos de extensão oferecidos.
  • Para cada disciplina há um grupo de metodologias que devem ser seguidos pelo docente em todo o território Nacional, é um padrão no ensino FAPUGA/Nepuga. A decisão de alocação é feita pelas coordenações acadêmicas, FAPUGA/Nepuga, de programas de ensino, durante o ano letivo de acordo com a necessidade e disponibilidade de aulas.
  • As coordenações acadêmicas estarão em contato com os docentes terceirizados/colaboradores através de email e via outros canais oficiais para a atribuição de aulas do semestre.
  • A alocação do docente é definida com base nos requisitos do programa quanto à distribuição de professores participantes por programa e avaliação da qualificação acadêmica e profissional de cada docente.
  • A avaliação acadêmica tem como parâmetros a análise do desempenho do docente em sala de aula, assim como o cumprimento do programa e da metodologia utilizada, através dos formulários pós aulas preenchidos pelos discentes pós aula, e pelo secretário local de cada unidade.
  • A alocação letiva de um professor é por contrato temporário para aquele final de semana.
  • Uma nova contratação poderá ou não ocorrer para os mesmos programa e ou novos programas com prévia comunicação e termos do contrato de prestação de serviço estabelecido com a FAPUGA/Nepuga, de acordo com a necessidade da Instituição.

Pesquisa e Outras Contribuições Intelectuais

  • As atividades de pesquisa integram o esforço desta Instituição de Ensino Superior na difusão do conhecimento, elemento fundamental de sua missão.
  • Todos os docentes/colaboradores da FAPUGA/Nepuga são, portanto, incentivados a dedicar-se à pesquisa e a corresponderem à expectativa institucional de que o corpo docente tenha um alto nível de qualificação acadêmica, independentemente do tipo de vínculo, perfil ou nível de carreira no qual o professor se encontra.

As contribuições intelectuais geradas pelo corpo docente geralmente atenderão aos seguintes requisitos:

1) Existem na forma escrita e têm divulgação pública, embora algumas contribuições possam se caracterizar por apresentações públicas ou palestras ou tenham acesso restrito;

2) Foram sujeitas a algum tipo de avaliação, por parte de pares acadêmicos ou profissionais ou ainda editorial, antes da publicação.

As contribuições intelectuais podem ser de três tipos quanto à sua natureza:

  • Pesquisa Acadêmica Básica – são contribuições que adicionam conhecimento à base teórica ou geram evidências empíricas que suportam ou rejeitam teorias. Normalmente, estas contribuições são publicadas em periódicos científicos e visam ao público acadêmico.
  • Contribuição à Prática – são contribuições que influenciam a prática profissional em determinada área de conhecimento. Normalmente são publicadas em periódicos profissionais e visam ao público gerencial ou que elabore políticas públicas.
  • Pesquisa de Ensino e Aprendizado – são contribuições que influenciam as atividades de ensino-aprendizagem da escola. A preparação de novos materiais usados nas disciplinas, a criação de materiais de apoio ao ensino e as pesquisas realizadas na área pedagógica são consideradas dimensões pedagógicas e epistemológicas. Destaca-se aqui o esforço institucional para o desenvolvimento de estudos de caso que compunham a coleção FAPUGA/Nepuga.

Além disso, as contribuições podem ser classificadas em duas categorias:

  • Com revisão por pares, definido como um processo de avaliação/revisão independente antes da publicação. Em geral é realizada por um comitê/corpo editorial considerado expert na área. Idealmente deve ser independente, fornecer feedback crítico, mas construtivo, demonstrar domínio na área e ocorrer de forma transparente (ainda que os revisores sejam anônimos).
  • Sem revisão por pares, quando o processo que visa garantir a qualidade da contribuição não ocorre conforme descrito no item acima, podendo envolver convite para publicação, avaliação apenas de abstract ao invés de artigo completo, entre outras formas.

 

Como resultado da atividade de pesquisa, entende-se a publicação de artigos acadêmicos em revistas indexadas (nacionais e internacionais), livros e capítulos de livros nas principais áreas de interesse da instituição, ou seja, Ciências da Saúde, Biomedicina, Estética, Administração, Economia, Estatística, Sociologia, Psicologia, Ciências Políticas, Direito, Relações Internacionais, ou ainda na área de Pedagogia ou Processos de Ensino e Aprendizagem.

Excluindo situações extraordinárias normalmente, somente publicações em que o nome FAPUGA/Nepuga seja explicitamente mencionado serão levadas em consideração.

Docentes com Responsabilidade de Pesquisa

Os docentes com responsabilidade específica de produção de pesquisa são os docentes com dedicação integral e exclusiva vertente Pesquisador, vertente Adjunto e docente de dedicação não exclusiva.

A responsabilidade de produção intelectual dos docentes com dedicação integral e exclusiva vertente pesquisador depende de seu nível de carreira, sendo estabelecido em termos de pontos de pesquisa obtidos e computados como média móvel de três anos.

Docentes com dedicação integral e exclusiva vertente adjunto e docentes joint appointment têm a responsabilidade de se manter academicamente qualificados, nos termos do REGIMENTO GERAL: PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL – PDI – CAPÍTULO II – DA CLASSIFICAÇÃO E FIXAÇÃO DOS CARGOS.

Docentes sem Responsabilidade de Pesquisa

Os demais docentes, incluindo os de dedicação integral e exclusiva administrativos e docentes de dedicação não exclusiva, são incentivados a manter sua qualificação acadêmica, embora isto não seja obrigatório, principalmente no caso dos profissionalmente qualificados.

Contudo, deve-se ter em mente que as melhores condições de ensino-aprendizagem são oferecidas quando os professores estão atualizados acadêmica e profissionalmente. Assim, visando estimular a produção acadêmica de professores que não têm responsabilidade específica de pesquisa, a escola estabeleceu uma política de concessão de verbas de pesquisa voltada a este grupo de docentes. Esta política, detalhada no REGIMENTO GERAL: PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL – PDI – PLANO DE CARREIRA, REGIME DE TRABALHO E PLANO DE QUALIFICAÇÃO/CAPACITAÇÃO DOCENTE, requer que o docente tenha doutorado e elabore um plano de trabalho para obter ou manter sua qualificação acadêmica.

Contribuições Institucionais

A FAPUGA/Nepuga valoriza o envolvimento do corpo docente com atividades além daquelas relacionadas ao ensino e à pesquisa, mantendo atenção à evolução e inovação contínuas de forma coerente à realização da missão, contribuindo para a solidez e boa reputação da Escola, bem como para a criação de um ambiente harmonioso e eficiente entre as diversas iniciativas institucionais. O interesse do professor em se dedicar a FAPUGA/Nepuga é um aspecto fundamental de ser abordado e avaliado nos processos de admissão de novos docentes. Da mesma forma, este aspecto fará parte da avaliação de desempenho de todos os docentes da FAPUGA/Nepuga.

As contribuições institucionais são de natureza e formatos variados. A título de exemplo, as contribuições podem ser da seguinte natureza:

  • funções diretivas;
  • coordenações de programas de ensino ou centros de estudos e/ou de pesquisa;
  • participação em comitês;
  • orientação ou execução de projetos internos;
  • participação em atividades promovidas pela FAPUGA/Nepuga;
  • organização de eventos acadêmicos;
  • orientações de trabalhos e dissertações;
  • participação em eventos a convite, dentre outras.

 

A responsabilidade anual de contribuição institucional do corpo docente da FAPUGA/Nepuga depende dos termos de contrato de prestação de serviços de docência de pessoas físicas e ou jurídicas.

OBRIGAÇÕES GERAIS DOS PROFESSORES QUANDO EM SALA DE AULA

1º. O professor deve chegar com antecedência de 30 minutos e checar todos os equipamentos e recursos pedagógicos antes de utilizar, inclusive se todos os materiais solicitados estão disponíveis, para não termos transtornos de secretários locais e monitores subir e descer com materiais e deixando a recepção/secretaria sozinha:

  1. Quanto ao manuseio dos equipamentos em sala de aula, desde datashow, cabos, sistema de som, computadores, ar-condicionado, luzes, até equipamentos de estética, descarpak e etc; é de responsabilidade do docente o cuidado com equipamentos, manuseio, ligar na voltagem correta, utilização do biocoletor, ligar e desligar ar condicionado e luzes, organização em sala de aula dos equipamentos e materiais….
  2. O uso de materiais consumíveis é de responsabilidade do docente;
  3. Quanto ao uso de EPIs; É obrigatório o uso de EPIs pelos docentes, e mais obrigatório ainda que se faça cumprir o uso entre alunos.

2º. Aluno NÃO deve chegar atrasado à sala de aula. NÃO permitir a entrada do aluno atrasado em sala de aula. Se a sua chegada em atraso acontecer com justa causa, ele estará acompanhado de alguém da Coordenação.

3º. Ao entrar na sala, não permitir a entrada de alunos retardatários, exceto quando expressamente autorizados.

4º. Nas saídas para o intervalo e término de período, o professor deve permanecer na sala de aula até a saída do último aluno. Fechar a porta, as janelas, apagar as luzes e desligar os equipamentos, computadores, projetores e ares-condicionados. Obs: Poderá obter e solicitar ajuda de monitor ou do secretário local.

5º. O professor deverá ser o último a se retirar. Deve apagar a lousa, recolher as canetas e trancar a porta. Obs: Poderá obter e solicitar ajuda de monitor ou do secretário local.

6º. O aluno não poderá permanecer em sala sem a presença do professor.

7º. Várias coisas tiram a atenção do aluno e servem para atrapalhar suas aulas e trazer problemas para a própria sala. Para sua comodidade somente permita que seus alunos usem APARELHOS CELULARES, SMARTPHONES, TABLETS, LAPTOPS e correlatos em atividades pedagógicas e que NÃO permita a alimentação em sala de aula. OBS: É de autonomia do DOCENTE proibir em sua sala de aula filmagens, fotos, ou qualquer outro tipo de divulgação dos procedimentos em aulas práticas.

8º. Bonés e óculos escuros são proibidos em sala de aula.

9º. Jaleco: É permitido ao docente o uso de jaleco BRANCO sem logo algum, apenas o nome do docente, e se houver logomarca a única permitida será a da FAPUGA/Nepuga. Todas as classes de profissionais da saúde têm o seu uniforme: médicos, odontólogos, operários, garçons e professores. Pois bem, o uso do jaleco é sumamente importante para os profissionais da saúde. É sinal de Instituição de Ensino Superior organizada, é sinal de profissional zeloso do seu trabalho. Use sempre o jaleco BRANCO diante dos alunos.

10º. Nenhuma comunicação deve ser feita aos alunos pelo professor, salvo a pedido ou ciência da coordenação, a respeito de: – critérios de aprovação; – mudanças de horários; – outros professores; – revisões; – datas e tipos de provas; – atividades extraclasses.

11º. Em hipótese alguma, o professor deverá abandonar a turma, em meio a uma aula, sob alegação de indisciplina dos alunos.

12º. Orientar os alunos a usarem o banheiro na hora do intervalo, salvo casos de problemas fisiológicos. O mesmo em relação a tomar água.

13º. O professor deverá abastecer sua garrafinha de água antes de entrar em sala.

14º. Os alunos preferencialmente devem sair da sala durante o intervalo entre as aulas.

15º. Nada mais desagradável que iniciar o seu trabalho e perceber que algum aluno não trouxe o seu material completo e não tem como participar da aula. Converse com ele numa primeira vez. Se houver reincidência, envie à Coordenação a atitude tomada.

16º. Aluno que não estiver devidamente vestido para a aula não poderá assistir a mesma.

DISCIPLINA EM SALA DE AULA

1º. Respeite seus alunos. Não estenda intimidade com eles. NÃO use apelidos, deboches, brincadeiras que acabarão trazendo-lhe problemas disciplinares. O jovem nem sempre sabe separar o sério do que é brincadeira. Aí residem, muitas vezes, as causas da indisciplina. Cuidado com a exposição em redes sociais.

2º. Sob nenhuma condição, USAR NOTA OU FALTA como fator punitivo.

3º. Em hipótese alguma, AMEAÇAR A TURMA com questões difíceis em prova, rigor na correção, etc. Pois tudo isso revela exclusivamente FALTA DE HABILIDADE do professor para conduzir sua aula e manter a disciplina.

4º. Se necessário for aplicar uma punição ao aluno, seja “criativo” na sua decisão. NÃO empregue métodos ultrapassados, como copiar mil vezes e coisas do gênero, isso em nada vai aumentar o conhecimento do aluno e acabará virando uma brincadeira para ele.

5º. Procurar resolver os casos de DISCIPLINA NA PRÓPRIA AULA, obedecendo o seguinte esquema:

a) ADVERTÊNCIA ORAL, procurando conscientizá-los para a obrigação de cada um PRESTAR O MÁXIMO DE ATENÇÃO;

b) Qualquer aluno que após a advertência oral VENHA PERTURBAR NOVAMENTE a aula deve ser CONVIDADO A SE RETIRAR DA AULA e o professor deve ao final da aula impreterivelmente REGISTRAR A OCORRÊNCIA EM ATA DE AULA e ser coerente com a nota de participação e aproveitamento do aluno, bem como, conferir sua frequência nas listas de presença; Obs: Poderá obter e solicitar ajuda de monitor ou do secretário local.

c) PERSISTINDO A INDISCIPLINA, o docente pode paralisar a aula até que o aluno indisciplinado se retire, solicitando a presença do secretário local, encaminhando o aluno imediatamente à secretaria que tomará as atitudes cabíveis ao caso. É importante frisar ainda que dependendo da gravidade da falta cometida pelo aluno, EXCLUSIVAMENTE A CRITÉRIOS DA COORDENAÇÃO, o aluno poderá até mesmo ser excluído do corpo discente. Observação: Pedimos a colaboração dos senhores professores ao que tange à disciplina, não só em sala de aula, mas sim em QUALQUER DAS DEPENDÊNCIAS DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR.

6º. Não permitir, em HIPÓTESE ALGUMA que os alunos permaneçam nos corredores nos intervalos de aula (exceto no intervalo).

7º. LIXO. Este é um velho e conhecido problema. É muito importante que o professor seja um “fiscal” de limpeza e das normas de biossegurança da sua sala de aula, afinal, ele é um educador. O zelo pela limpeza também é algo que se aprende na Instituição de Ensino Superior.

CUMPRIMENTO DO HORÁRIO

1º. O professor deve chegar pelo menos 30 (trinta) minutos antes do início de sua aula, com a finalidade de inteirar-se dos assuntos e informativos da escola. Observação: Esteja sempre atento aos informativos nos murais na sala dos professores e aos recados deixados pela Coordenação. Após uma semana no mural, o conteúdo do informativo será considerado de ciência de todos os professores.

2º. Na 1ª aula do dia o professor deve sempre imediatamente se dirigir à sala de aula no horário.

3º. Em hipótese alguma, dispensar a turma ANTES DO HORÁRIO FINAL DA AULA. Essa atitude cria tumulto, descrédito à Instituição de Ensino e prejudica sensivelmente outro professor que está ministrando aulas em outra turma.

4º. O conteúdo ministrado deverá ter começo, meio e fim, a fim de utilizar todo o tempo da aula com conteúdos pertinentes a disciplina.

5º. A lista de presença tem que ser passada nos horários definidos pela COORDENAÇÃO.

6º Nenhum professor tem autonomia de dispensar a turma antes do fim do horário de aula, qualquer eventualidade avisar a COORDENAÇÃO da instituição.

7º Passado todo o conteúdo em sala de aula, todas as práticas realizadas, e se os alunos não apresentarem dúvidas podem ser dispensados em um horário mínimo que corresponde ao menos 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária total da disciplina. É de responsabilidade do DOCENTE permanecer dentro de sala de aula até o último aluno se retirar.

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE OS MÉTODOS DE ESTUDO

1º. Esclarecer aos alunos que só se adquire hábito de estudo, estudando diariamente após o módulo, e que apenas quando após a aula ele se dedicar a ler e estudar tudo o que foi ensinado é que ele terá realmente um ótimo aproveitamento daquele encontro, daquela aula e domínio sobre o assunto.

2º. Orientar os alunos para que, deverão:

a) Em sala de aula: Prestar atenção nas aulas, pedindo esclarecimentos sempre que for necessário;  

b) Ficar atento às perguntas de seus colegas e ouvir as respostas dadas pelo professor, pois, assim, muitas dúvidas poderão ser esclarecidas;  

c) Fazer anotações em classe e copiar o esquema dado pelo professor;

d) Fazer os exercícios de classe, solicitando ajuda do professor sempre que precisar; 

e) O caso de dúvidas, esclarecê-las com os próprios professores na mesma aula, ou, se for o caso, depois na hora da correção da tarefa;

f) Corrigir os exercícios, tanto de classe quanto os de casa, para que estejam todos certos na hora de revê-los para a prova;

nepuga